Principal

Com governo aberto ao diálogo, greve na Faetec não se justifica e prejudica reta final de ano letivo bem como desempenho no Enem

Mesmo diante um grande esforço do Governo do Estado, da Secretaria de Ciência e Tecnologia e da direção da Faetec em negociar com representantes do sindicato, a assembleia, realizada na última terça-feira (10/9), manteve o indicativo de greve. A atitude que não se justifica pode prejudicar em torno de 10 mil alunos da Fundação, uma vez que o calendário do Ensino Técnico inclui aulas aos sábados e deixa pouca margem de datas para reposição do conteúdo programático. Primando pela conclusão do ano letivo sem maiores prejuízos aos estudantes, a direção da Faetec orienta aos responsáveis que mandem os alunos para as escolas, evitando também o registro de faltas.


Diálogo aberto: 

Pautada numa política de diálogo constante, a atual gestão da Faetec tem mantido todos os canais de comunicação abertos com os mais diversos setores que compõem a comunidade escolar da Rede. Para se ter uma ideia do esforço, desde janeiro foram realizadas 31 reuniões para debater as questões de funcionamento interno.

No mais recente encontro, realizado no dia 6 de setembro, o secretário de Estado de Planejamento e Gestão, Sérgio Ruy, recebeu em seu gabinete o Conselho de Carreira da Faetec, representantes sindicais e o presidente da instituição, professor Celso Pansera, para discutir as questões sobre o novo Plano de Cargos e Salários. À ocasião, o secretário já deixou uma nova reunião agendada para 4 de outubro com o mesmo grupo.

Cabe ressaltar que a principal reivindicação do sindicato é o novo PCS – a categoria já possui um plano em vigência – que tramita nas instâncias de governo há pouco mais de um ano, tendo cumprido todo o cronograma apresentado à categoria. No momento, o processo encontra-se na Seplag para análise do impacto orçamentário.

Duas vezes por semana, a Sect e a direção da Faetec recebem o Conselho de Carreira e a representação sindical para debater os pontos divergentes do novo PCS, mesmo com um compromisso reafirmado diversas vezes pelo governo em remetê-lo ainda este ano para aprovação na Assembleia Legislativa (Alerj).

 

Confira a agenda de reuniões realizadas em 2013: 

30 de janeiro: Chefia de Gabinete recebe grêmios estudantis.

27 de fevereiro: Presidente recebe representantes sindicais na sala multimídia, em Quintino.

7 de março: Diretoria de Desenvolvimento da Educação Básica e Técnica e Chefia de Gabinete recebem grêmio estudantil do Cetep Marechal Hermes.

8 de maio: Direção da Faetec participa de audiência pública sobre novo PCS convocada pela Comissão de Educação.

29 de maio: Em reunião com membros do sindicato, presidente informa cronograma previsto de tramitação da proposta do novo PCS.

29 de maio: No mesmo dia, gestores de unidades também recebem do presidente o cronograma previsto de tramitação da proposta do novo PCS.

3 de junho: Servidores em Campos dos Goytacazes, onde a Faetec tem seis unidades, recebem visita do presidente da Faetec.

5 de junho: Diretores administrativos e educacionais reúnem-se com representantes de grêmios estudantis.

18 de junho: Presidente tem encontro com servidores no Cetep Barreto.

18 de junho: Servidores da ETE Adolpho Bloch, em São Cristóvão, reúnem-se com presidente.

19 de junho: Reunião do presidente com servidores do Cetep Marechal Hermes.

2 de julho: Chefia de Gabinete recebe grêmios estudantis.

2 de julho: Presidente tem encontro com servidores da ETE Juscelino Kubitschek, no Jardim América.

3 de julho: Reunião do presidente com servidores da ETE República, em Quintino.

4 de julho: No Iserj, servidores têm encontro com presidente.

8 de julho: Chefia de Gabinete recebe representantes do grêmio estudantil da ETE Santa Cruz.

11 de julho: Presidente tem encontro com gestores de unidades em Quintino.

19 de julho: Reunião do presidente com funcionários da ETE João Luiz do Nascimento, em Nova Iguaçu.

8 de agosto: Pela manhã, subsecretário de Ciência e Tecnologia e presidente da Faetec informam a membros do sindicato que processo do PCS seguirá para a Seplag.

8 de agosto: À tarde, presidente repassa o que ficou acordado  na primeira reunião a gestores de unidades.

15 de agosto: Cumprindo cronograma, direção da Faetec reúne-se com servidores da sede administrativa da Faetec, em Quintino, para informar que novo PCS chegou à Seplag.

20 de agosto: Mais uma reunião entre o presidente da Faetec e gestores de unidades sobre andamento do novo PCS acontece no auditório de Quintino.

20 de agosto: Ao término da reunião, representantes sindicais que aguardavam a saída do presidente na porta do auditório são recebidos por Celso Pansera na sala multimídia de Quintino.

21 de agosto: Direção da Faetec presente na audiência pública convocada pela Comissão de Educação da Alerj para debater novo PCS.

26 de agosto: Representantes de grêmios estudantis reúnem-se com direção da Faetec.

26 de agosto: Chefia de Gabinete recebe representantes sindicais.

28 de agosto: Após assembleia realizada no Teatro Abdias do Nascimento, em Quintino, sindicalistas tentam invadir prédio da Presidência, tumultuando a passagem dos funcionários do prédio da administração central. Ainda assim, são recebidos no prédio da Diretoria de Gestão da Informação pela Chefia de Gabinete e pela Diretoria Administrativa.

30 de agosto: Presidente reúne-se com gestores de unidades.

2 de setembro: Presidente dá posse a Conselho de Carreira para assegurar a servidores transparência na progressão salarial.

4 de setembro: Governador Sérgio Cabral reúne-se com presidente da Faetec para avaliar situação das escolas.

6 de setembro: Secretário Sérgio Ruy recebe Conselho de Carreira e presidente da Faetec para discutir propostas do novo PCS.


Servidores têm ganhos reais durante o atual governo:

Em janeiro de 2007, quando o governador Sérgio Cabral assumiu, a Faetec tinha salários congelados há quatro anos e não realizava concurso desde 2002. Desde então, os aumentos têm sido concedidos pelo governo praticamente todos os anos, repondo todas as perdas inflacionárias e garantindo ganho real nos salários.

O último reajuste de 8% ocorreu em 5 de junho deste ano. Esse reajuste somado à aplicação do Plano de Cargos e Salários em vigência e aos triênios garante aos servidores da Faetec um aumento superior a 100% sobre o valor dos salários de janeiro de 2007 até o atual momento.

Além disso, em 2010 foi realizado um concurso público, contemplando tanto carreiras administrativas quanto pedagógicas, sendo todas as vagas apresentadas em edital preenchidas. Entre os benefícios que valem ser lembrados, destaque para a implantação do sistema de vale-transporte – uma reivindicação antiga da categoria – e que beneficia mais de 1.400 servidores, desde 2010.

Para os servidores técnicos-administrativos de Nível Médio que fazem curso Superior, uma importante conquista com o adicional de qualificação no valor de R$125, equivalente a 10% do vencimento base. Outro avanço da Fundação foi o pagamento de aproximadamente R$ 30 milhões em dívidas trabalhistas deixadas por gestões anteriores.

Diante de tantas realizações importantes para solidez das carreiras da Faetec bem como o resgate e a ampliação da Rede como uma referência em Educação Profissional e Tecnológica do Estado do Rio, a greve não se justifica, a não ser sob a ótica do embate político com o governo. Um pequeno grupo que insiste em dar continuidade ao ato acaba prejudicando o futuro de milhares de jovens.


Fonte: FAETEC